5 Maiores arrependimentos

Uma enfermeira paliativa revelou os 5 maiores arrependimentos de pacientes no final de suas vidas.

Eu sei, é meio esquisito só de pensar no assunto. Mas é interessante para reforçar o que realmente vale a pena na vida. Nenhum paciente se arrependeu de não ter ganhando mais dinheiro, mais mulheres ou sucesso.

Veja a lista abaixo:

Eu gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, e não a vida que os outros esperaram de mim.

Esse foi o arrependimento mais comum de todos. Quando as pessoas percebem que suas vidas estão quase no fim, e olham para trás claramente sobre suas respectivas vidas, é fácil ver quantos sonhos foram deixados para trás. A maioria das pessoas não realizou nem mesmo a metade de seus sonhos, e morreram sabendo que deixaram de realizar tais sonhos simplesmente por escolhas feitas, ou escolhas que deixaram de fazer. Ter saúde traz uma liberdade que poucos percebem, até que a saúde vá embora.

Eu gostaria de não ter trabalhado tanto.

Esse arrependimento veio de todos os pacientes homens. Eles se lamentaram por terem perdido a infância de seus filhos e a companhia de suas esposas e parceiras. Mulheres também tem esse arrependimento, mas como muitas eram de uma geração mais antiga, não tinham empregos formais além de cuidar do lar. Todos os homens lamentaram profundamente terem dedicado tanto tempo de suas vidas ao trabalho.

Eu gostaria de ter tido coragem de expressar meus sentimentos.

Muitas pessoas suprimiram seus sentimentos, a fim de evitar conflito com os outros. Como resultado, eles adotaram uma existência medíocre e nunca tornaram-se quem eram realmente capaz de se tornar. Como resultado, muitos desenvolveram doenças relacionadas com amargura e ressentimento.

Eu gostaria de ter mantido contato com meus amigos.

Com frequência, os pacientes não percebiam com clareza a importância de uma amizade verdadeira até suas últimas semanas de vida, quando (infelizmente) muitas vezes já não tínhamos tempo suficiente para localizar alguns desses amigos. Muitos ficaram tão ocupados com suas vidas que não perceberam que amigos importantes acabaram distantes. Foram muitos os pacientes arrependidos de não terem dado a devida importância, tempo e dedicação para suas amizades. Todos sentiram falta de seus amigos.

Eu gostaria de ter me permitido ser mais feliz.

Esse arrependimento é surpreendentemente comum. Muitos não percebem que a felicidade é uma escolha. Eles ficaram aprisionados em velhos padrões e hábitos. O medo de mudanças os forçaram a viver sempre fingindo estarem satisfeitos e alegres, enquanto no fundo, todos desejavam sorrisos verdadeiros e mais momentos de descontração.

Espero que esse artigo não deixe você para baixo, pelo contrário… que sirva de exemplo e alerta, que possa servir de alavanca para você rever seus valores na vida, o que realmente importa para você…

[content_box color=”#888888″]
[icon_box icon=”users” title=”Autor: “]Susie Steinerl [/icon_box][icon_box icon=”link” title=”Fonte:”] Guardian.co.uk [/icon_box][icon_box icon=”image” title=”Foto:”] aribakker [/icon_box]
Artigo traduzido do site do jornal The Guardian.  [/content_box]